Nossos Colunistas

Sample avatar
politiKês

"Agnes Roldan, é voluntária em organizações do terceiro setor desde a adolescência, em 2017 foi aluna da Rede Ubuntu - Cursinhos Populares. Em 2018 entrou na graduação em licenciatura em ciências sociais, também participou da turma piloto da Escola Comum um projeto que reuniu jovens de periferia com intuito de fortalecer as lideranças jovens na quebrada. Em 2019 retornou para Rede Ubuntu como coordenadora e atualmente coordena o Polo Santo Dias (Jardim Ângela) e o Polo Dona Edite (Céu Capão Redondo). É uma das organizadoras do Sarau Apoema - Jardim Ângela."

Sample avatar
Instantes

Aloysio Letra é um ser cultural, atua como articulador cultural e é intérprete-criador em teatro, performance, audiovisual e música. Escreve no blog Negrume. Letra acredita em dar força às mudanças. Saravá as mudanças!

Sample avatar
Yalodes

Socióloga com extensão em estudos da Genealogia do gênero -PUC -SP. Com experiência em gerência de projetos, planejamento e acompanhamento de equipe de ação e educadora. Atuo como presidenta da organização social Bloco do Beco, além de 20 anos como ativista na Periferia Sul com ações na área de gênero, política e cultura, em coletivos como KATU de educação, Fala Guerreira e Periferia Segue Sangrando.

Sample avatar
Filosofia

César Mendes da Costa, graduado em Filosofia

Sample avatar
Paternidades Pretas

Pai do Malik Mashoba (Masoba), tecelão de sonhos, facilitador de diálogos, tem como propósito criar espaços e ambiências onde as pessoas possam expressar sua essência, expressar seus propósitos coletivos e individuais. Nesse caminho sua formação segue pelas artes, permacultura, terapias alternativas, desenvolvimento de negócios e desenvolvimento comunitário.

Sample avatar
Movimentos Populares e sua Voz - Da Ponte Pra Cá

Co Deputado Estadual Mandata Ativista, Morador do Capão Redondo, Pai, Poeta, Produtor Cultural, Defensor dos Direitos Humanos, Compõe o Fórum de Culturas da Zona Sul Sudoeste, Fórum em Defesa da Vida.

Sample avatar
UMSOH

"Bixop e Lena Silva formam a dupla UmSoh, eles provavelmente são o primeiro casal periférico formado por um afro-americano e uma afro-brasileira, que juntos, fazem Rap & Soul abordando diferentes temáticas e difundindo suas culturas, além de incentivar as pessoas a aprenderem idiomas através da música. BiXop nasceu e cresceu no estado de Nova Jérsei em meio a violência e desigualdade que é não mostrada na mídia brasileira. O seu interesse pelo hip hop brasileiro resultou na aprendizagem da língua portuguesa, e a decisão de mudar para o Brasil e criar música multilingue buscando novas opções de crescer como artista. Enquanto Lena Silva, nasceu no estado da Bahia na cidade de Jequié. Teve a oportunidade de viajar e morar no exterior, aprendeu a falar italiano e conheceu a arte da fotografia, hoje é fotógrafa, dreadmaker e cantora/mc, além de ser companheira de vida de Bixop. Assim nasceu Umsoh, a dupla que fundou o curso Inglês Na Quebrada e fazem música em diferentes idiomas que em breve estará disponível."

Sample avatar
Cura pelas Bordas

"Laura da Silva, 19 anos, moradora do Jd. Embura entre os distritos de Parelheiros e Marsilac. Articuladora cultural local, integra o Fórum de Cultura de Parelheiros; artivista atuante na Cia Teatro de Rocokóz e Coletiva Subversiva; Comunicadora, cofundadora do coletivo ARQUE Perifa - com narrativas autorais a partir do extremo sul, para cura pelas bordas. Atualmente cursa Geografia pela Unifesp e contribui em outros coletivos periféricos."

Sample avatar
Periferiano

Luiz Lucas, 23 anos. É morador do Jârdim Ângela, extremo sul de de São Paulo. Formado em jornalismo, trabalha com audiviosual, comunicação e cultura periferiana.

Sample avatar
Nosso Centro é a Periferia!

Rafael Cícero de Oliveira, professor de Geografia, mestrando em Geografia Humana na USP, coordenador da Rede Ubuntu de Educação Popular e periférico em movimento.

Sample avatar
Territórios do Futuro

Apreciador do direito de imaginar, criar, pesquisar e refletir, Ronaldo Matos é jornalista e educador. Ele é co-fundador e editor do Desenrola e Não Me Enrola. Influenciado pela cultura Hip Hop e a Filosofia, o morador do Jardim Ângela vive a quebrada como uma plataforma urbana de conhecimento, para compreender e questionar o que é periferia. Em busca da sua ancestralidade, uma de suas principais paixões é promover intercâmbios políticos e culturais com comunidades tradicionais.

Sample avatar
Além do jogo

Jucinara Lima, 30 anos, a Juh na Várzea, conhecida por esse nome por trabalhar desde 2017, fotografando o futebol de várzea nas comunidades. É moradora de Taipas, uma quebrada da zona noroeste de São Paulo. Mãe de duas incríveis meninas, formada em processos fotográficos. Sempre foi ligada às emoções e em revelar a beleza do simples.

Sample avatar
Quebrada Sociológica

Wellington Lopes é Cientista Social, atua como coordenador do Núcleo XI de Agosto de Educação, Cultura e Direitos Humanos da UNEafro Brasil. Também atua como pesquisador, articulador político no Instituto de Referência Negra Peregum e compõe a Coordenação Colegiada do AfroPresença.

Sample avatar
Papo de visão

Jô Maloupas é compositora, cantora, mãe e articuladora. É uma das criadoras do grupo de rap Odisseia das Flores, coletivo de luta e resistência feminina, além de integrar a rede São Mateus em Movimento.

Sample avatar
Desfazendo-nós

Marcia Marci é travesti e articuladora sociocultural. Graduada em comunicação social pela FAPCOM (2012), Marcia é idealizadora da coletiva @TravasdaSul, onde realiza ações pensadas por e para pessoas LGBTIA+ do extremo sul de São Paulo, como o Sarau Travas da Sul, a festa Diz_Trava e o Cinemão Travas da Sul. Está agente de formação pelo Cieds atuando com juventudes periféricas através do Programa Jovem Monitor/a Cultural, política pública de cultura da cidade de São Paulo. Atua com assessoria pedagógica no Programa Itaú Social Unicef pelo Cenpec desde o ano de 2020. Integra desde 2013, o Coiote, coletivo de performance que desenvolve pesquisa e ações artístico-políticas pornoterroristas através da estética da modificação corporal e práticas anticoloniais. Em 2019, lança o livro de co-autoria “Crônicas Coiote”, pela padê editorial.

Sample avatar
Rachaduras - Educação e Cidade

Silvia Tavares, 49 anos, educadora, editora da revista Sampa Mundi, aprendiz de produtora cultural, integrante da Escola Feminista Abya Yala. Mãe de 4. Moradora do Campo Limpo.