ENTREVISTA Contextos Periféricos

“A gente tá fazendo uma revolução”, afirma Aline Brito, mãe, sapatão, educadora e periférica

Como o dia do orgulho LGBT atravessa a vida das sapatonas que são da quebrada? Como é ser sapatona, periférica e mãe? Essas são algumas das perguntas que permeiam essa reportagem. Vamos falar sobre as lutas por visibilidade, amor, afeto e construção familiar entre corpos que nem sempre são lembrados no Dia Internacional do Orgulho LGBT.