NOTÍCIA Panorama

Arte educadora utiliza o grafite como forma de expressão e apoio a maternidade solo

 A arte educadora Mariana Salomão, encontra no grafite o matriarcado de quebrada e conta as tretas de ocupar os espaços públicos com a sua arte.

ENTREVISTA Contextos Periféricos

“A gente tá fazendo uma revolução”, afirma Aline Brito, mãe, sapatão, educadora e periférica

Como o dia do orgulho LGBT atravessa a vida das sapatonas que são da quebrada? Como é ser sapatona, periférica e mãe? Essas são algumas das perguntas que permeiam essa reportagem. Vamos falar sobre as lutas por visibilidade, amor, afeto e construção familiar entre corpos que nem sempre são lembrados no Dia Internacional do Orgulho LGBT.

Elvira Gonçalves de Matos, 68, moradora do Jardim Ângela, zona sul de São Paulo. (Foto: Ronaldo Matos/Arte: Flavia Lopes)
ENTREVISTA Raízes Periféricas

“Meu sonho era ter uma filha”, diz Elvira Gonçalves, migrante baiana moradora do Jardim Ângela

Aos 68 anos de idade, a migrante baiana da cidade de Ibititá compartilha como dedicou parte da sua vida  para cuidar dos filhos e revela o trauma de perder uma filha aos 17 anos e mais tarde realizar o sonho de ter outra menina.  

Rita de Cássia, 42, nasceu e passou boa parte da sua infância no Rio Pequeno, zona oeste de São Paulo, e atualmente mora em Carapicuíba, região metropolitana de São Paulo.
Entrevista Raízes Periféricas

Rita de Cássia: uma trajetória de muitas transformações

Com uma trajetória de vida marcada por dores e muitas conquistas, ela conta como algumas mulheres apoiaram e marcaram sua juventude e a experiência de ser mãe.