Exclusivo: Secretário de relações governamentais de Dória assume interlocução com a ocupação da Secretária de Cultura

Objetivo é estabelecer um diálogo com os artistas e levar as pautas ao governo.

Por Ronaldo Matos 01/06/2017 - 02:16 hs
Foto: Marcelo Rocha
Exclusivo: Secretário de relações governamentais de Dória assume interlocução com a ocupação da Secretária de Cultura
Milton Flávio, secretário de relações governamentais volta a falar com os movimentos culturais.

No final da noite desta quarta-feira (31), Milton Flávio, secretário de relações governamentais do prefeito João Dória se comprometeu a levar à cúpula do governo a pauta defendida pelos artistas, trabalhadores da cultura e representantes de diversos coletivos da cidade de São Paulo, que ocupam a secretaria municipal de cultura de São Paulo. A decisão unânime do grupo que realiza a ocupação é a saída imediata do secretário de cultura, André Sturm, que segundo os ocupantes vem ignorando o pleito da população do descongelamento dos recursos da pasta e a definição de uma comissão para acompanhar a implementação do Plano Municipal de Cultura.

Durante uma reunião que durou cerca de uma hora, o secretário Milton Flávio impôs as seguintes questões levantadas pelo governo Dória: desocupação de uma das salas da secretaria; identificação dos integrantes do grupo para garantir a segurança patrimônio público, redução do número de pessoas que ocupam a secretária; e criar um grupo de interlocução com o governo para realizar uma reunião nesta quinta-feira (01) com o secretário. A maioria das solicitações do secretário foram negadas pelos ocupantes da Secretaria, exceto a retirada de equipamentos e documentos que foram levados de uma das salas e catalogados com acompanhamento da GCM e funcionários da Secretaria de Cultura.

O pedido da saída imediata de André Sturm foi motivado por uma série de denúncias e irregularidades cometidas na gestão do secretário que estão registrados e organizados em um dossiê, construído desde o inicio do ano conforme as primeiras irregularidades na secretaria ocorreram, tais como indícios de direcionamento ilegal em licitação do Teatro Municipal; irregularidades no novo edital de fomento à dança; descumprimento da Lei de Fomento à Cultura das Periferias; interferências no processo licitatório do carnaval de rua; interferência no processo de seleção da comissão avaliadora do programa VAI; discriminação racial ao artista Aloysio Letra e recentemente a ameaça de agressão a Gustavo Soares do Movimento Cultural do Ermelino Matarazzo . Um abaixo assinado elaborado pelo mandato da Vereadora Sâmia Bonfim do PSOL já colheu até esta quarta-feira (31) mais de 6 mil assinaturas requisitando a demissão de André Sturm.

Cerca de 40 viaturas e mais de 80 policiais ajudam a controlar a entrada e saída do prédio da SMC. É importante destacar que desde o início a ocupação vem sendo pacífica. Os funcionários da SMC continuam a exercer de forma normal suas atividades laborais e sem impedimento de acesso ao prédio. O prefeito João Dória não apareceu e não se manifestou em nenhum momento sobre as acusações de descumprimentos de leis, perseguições e agressões de autoria de André Sturm. A Secretaria Municipal de Cultura soltou uma nota controversa afirmando que durante a ocupação houveram tentativas de arrombamento e expulsão de funcionários, fatos desmentidos pela GCM, e pelo próprio secretário Milton Flávio .

Os manifestantes aguardam uma posição concreta da prefeitura com relação as suas exigências, e para tanto solicitaram a presença do prefeito João Dória ou um interlocutor que tenha capacidade de garantir a exoneração de André Sturm da SMC. 

Ocupação da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo

São Paulo, 01 de junho de 2017.