Marcia Marci é travesti e articuladora sociocultural. Graduada em comunicação social pela FAPCOM (2012), Marcia é idealizadora da coletiva @TravasdaSul, onde realiza ações pensadas por e para pessoas LGBTIA+ do extremo sul de São Paulo, como o Sarau Travas da Sul, a festa Diz_Trava e o Cinemão Travas da Sul. Está agente de formação pelo Cieds atuando com juventudes periféricas através do Programa Jovem Monitor/a Cultural, política pública de cultura da cidade de São Paulo. Atua com assessoria pedagógica no Programa Itaú Social Unicef pelo Cenpec desde o ano de 2020. Integra desde 2013, o Coiote, coletivo de performance que desenvolve pesquisa e ações artístico-políticas pornoterroristas através da estética da modificação corporal e práticas anticoloniais. Em 2019, lança o livro de co-autoria “Crônicas Coiote”, pela padê editorial.
Opinião Colunas

Negociando amar

Esse texto, é um texto de celebração da despedida, onde comemoramos o fim de um longo ciclo de tantos anos. Estive por uma dúzia de anos me distanciando de tantas coisinhas, que perdi a sensibilidade de aproveitar o mais banal sorriso.